Categories: Espiritualidade, Vivência na fé Tags: , , Deixar um comentário

A devoção ao Imaculado Coração de Maria

Autor: Pe. Everton Vieira da Silva

Texto publicado no Kerigma (Maio/2019)

Nos meses de maio e junho, recordamos com afeto o mês mariano e o mês dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria. A Igreja honra e celebra o Imaculado Coração de Maria, memória litúrgica comemorada no sábado seguinte à Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, celebrada na segunda sexta-feira após a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo. Tal devoção é muito antiga. Sua origem está no Evangelho, que repetidas vezes nos chama a imergir no Coração da Mãe de Jesus e nossa Mãe.

A piedade nos conclama a buscar firmemente o amor de Deus, e sempre, como fez a Virgem Maria, acolher o plano salvífico e de misericórdia de Deus em nossas vidas. Maria evidencia seu amor por Deus e pelas futuras gerações. Ela acolhe o anúncio do Arcanjo Gabriel, e, no seu ventre, o Filho de Deus se encarna, para nossa salvação.

A devoção ao Imaculado Coração de Maria granjeou mais eficácia graças à piedade privada dos fiéis, a partir das aparições de Nossa Senhora, em Fátima, em 1917, a três pastorzinhos: Jacinta e Francisco, canonizados recentemente pelo Papa Francisco, em 13 de maio, no primeiro centenário das aparições, e Lúcia, que se encontra em processo de canonização. A mensagem de Fátima, para toda Igreja e para o orbe, é a propagação do culto ao Imaculado Coração de Maria.

O sábado, para a Igreja, é um dia dedicado e consagrado a Virgem Maria. Muitos movimentos marianos, apoiados nesta tão singela e devota tradição da igreja, consagram e vivem o sábado aproximando-se dos sacramentos e do cumprimento de diversas formas e gestos dos exercícios da piedade, tais como o Rosário, o Ofício da Imaculada Conceição, a comunhão reparadora, enfim, as tantas formas de homenagear Nossa Senhora. Entretanto, foi com o Papa Pio X que a devoção à Nossa Senhora, aos sábados, foi aprovada e incentivada, para toda a Igreja.

Em Fátima, na Cova da Iria, em 13 de junho, na segunda aparição aos pastorzinhos, foi revelada a primeira grande manifestação do Imaculado Coração de Maria. Na palma da mão direita da Virgem Maria, estava um Coração cercado de espinhos que pareciam estar nele enterrados. Era o Imaculado Coração de Maria ultrajado pelos pecados da humanidade, querendo reparação!

Assim, a venerada devoção ao Imaculado Coração de Maria, praticada aos sábados, de modo especial, nos primeiros sábados, foi-nos revelada para nossa salvação e de tantos que deixaram a sã doutrina e de muitas almas que padecem no purgatório.

As celebrações em honra à Santíssima Virgem Maria encerram especial destaque, pois, ao contemplá-la e render sinceras homenagens, recordamos Jesus Cristo, nosso redentor, que, no seio materno de Maria, assumiu nossa natureza para que fôssemos salvos e redimidos pelo seu infinito amor.

Ao rendermos veneração ao Imaculado Coração de Maria, fazemos com que o amor à Mãe de Deus seja iluminado e conhecido, pois a Palavra de Deus, anunciada pelo Arcanjo Gabriel, encontrou acolhida no coração de Maria, e, nesse mesmo coração traspassado, aos pés da cruz, profetizado pelo velho Simeão, se encarnou o Redentor e veio habitar entre nós.

Vivendo com intensidade as datas marianas, queremos continuar nossa peregrinação, sendo transformados pela Palavra de Deus e pela força do Espírito Santo, à semelhança da “serva do Senhor”, de modo que sejamos verdadeiros servidores de Deus. Peçamos com insistência e perseverança à Nossa Senhora Aparecida, nossa Celestial Padroeira, as boas disposições de nossa alma para bem praticar e viver os ensinamentos de Maria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *